“Conhecimento: um catalisador para a transformação” | Unidade Jaraguá do Sul
Topo do site
Inscreva-se Cursos Formas de ingresso Bolsas e Financiamentos Telefone
Início do menu
Início do Conteúdo
palavra do reitor

No próximo dia 28 celebraremos o Dia Mundial da Educação. A data foi instituída em 2000 por lideranças de 180 países em Dakar, no Senegal, no Fórum Mundial de Educação. Mas todo dia é dia de lembrar da importância da busca pelo conhecimento. Tanto que o acesso ao conhecimento é um compromisso global formalizado em um ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU (Organização das Nações Unidas). O quarto objetivo foca em educação de qualidade, com a proposta de assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida. Há metas direcionadas para finalização de ensino primário; desenvolvimento na primeira infância; acesso à educação técnica, profissional e superior; ampliação de habilidades; eliminação de disparidades de gênero; acesso para os mais vulneráveis; alfabetização; conhecimento básico de matemática; aprimoramento de instalações físicas; aumento no número de bolsas; e qualificação dos professores. Todos esses compromissos certamente envolvem o poder público e instituições de ensino, mas há a parcela que cabe a cada cidadão. Nós, enquanto sociedade, precisamos somar esforços para valorizar a educação. Afinal, o conhecimento empodera e transforma vidas. Educação rima com esperança. Tem cheiro de sonho, é promessa de um novo amanhã. Por meio do saber, o ciclo da pobreza pode ser interrompido. É uma assertiva ferramenta de ascensão social. Debruçados sobre livros, meninos e meninas de comunidades carentes pavimentam o futuro para que seus filhos possam ter acesso a uma vida melhor, pois quanto maior a escolaridade, maiores também as oportunidades de ter uma renda satisfatória e um emprego estável. Não faltam números para comprovar o papel do conhecimento como um catalisador para a transformação. Conforme o relatório “Education at a Glance”, da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), um brasileiro com ensino superior ganha cerca de 140% a mais do que quem parou no ensino médio e, com o adicional de pós-graduação, o salário é cerca de 350% superior. Você já deve ter ouvido aquela clássica frase “não dê o peixe, ensina a pescar”. De fato quem se capacita tem mais ferramentas para navegar mar a fora. Os grandes pensadores engrossam esse coro. Para o educador e filósofo brasileiro Paulo Freire, “ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Por isso aprendemos sempre”. Já o filósofo alemão Immanuel Kant afirma que “o homem não pode se tornar um verdadeiro homem senão pela educação, ele é aquilo que a educação faz dele”. Agora, é importante ponderar, estudar vai além de empregabilidade e renda. Adquirir conhecimento é uma janela para um novo mundo. Educare, no latim, significa “educar”, “instruir” e “criar”. A palavra é composta por ex, “fora”, e ducere, “guiar, conduzir, liderar”. Na sua etimologia, traduz o ato de introduzir alguém ao mundo por meio da instrução. Algo como “levar uma pessoa para fora” de si mesma, mostrar o há além dela. Cidadão empoderados pelo conhecimento ampliam habilidades de expressão e de comunicação; aprimoram as habilidades de socialização; fortalecem o senso crítico e a capacidade de refletir e analisar vários pontos de vista; reconhecem direitos e deveres; entendem seu papel na sociedade; e ampliam a visão do nível micro, para o macro. Mas o que estudar? Estude aquilo que faz o coração bater mais rápido, que enche os olhos e apaixona. Dedique-se a saber mais sobre aquilo que realmente importa para você. As chances de ser bem-sucedido e feliz são maiores para quem ama verdadeiramente o que faz. Mas estude! Com um pouco de tempo disponível e conexão com a internet, não faltam opções para adquirir conhecimento, um investimento valioso em si mesmo e, consequentemente, em uma sociedade melhor.